Segundo a ABF – Associação Brasileira de Franchising – o Brasil tem 2031 marcas franqueadas. São mais de 93 mil unidades que faturaram, em 2011, R$ 88,8 bilhões. Neste universo, que deve crescer cerca de 15% neste ano, muitas são as famílias construídas sobre os alicerces do franchising.

Não é raro que casais realizem juntos o sonho de se tornarem empreendedores, fazendo com que suas franquias sejam o sustento da família toda. As franquias são uma segurança para quem não quer começar um negócio do zero porque dão suporte ao franqueado. E ter um sócio em quem se confia plena e mutuamente é um grande passo para o sucesso do negóci o. Cada história é única; não existem fórmulas prontas.

Mas, em comum, todos os casais têm a vontade de fazer com que seu negócio próprio possa sustentar suas famílias, enquanto trabalham ao lado de quem amam e confiam. Aqui, exemplos bem sucedidos das marcas WSI, Lig-Lig, Prima Clean e Roasted Potatoe:

Ana Luiza Rocha de Almeida Cunha é casada com Caio de Almeida Cunha há 27 anos. O casal, que tem dois filhos, decidiu abrir uma franquia da WSI em 2009, depois de terem voltado dos EUA, onde moraram por três anos. Ana Luiza concentra-se na operação da franquia, enquanto que Caio dedica-se a gerenciar o negócio. Atualmente, Caio é máster-franqueado Brasil da WSI. “A aposta deu certo. Mesmo que, às vezes, tenhamos opiniões diferentes sobre o negócio, chegamos sempre a um denominador comum”, revela Ana Luiza.

Segundo ela, o trabalho em família flui naturalmente. “Nossa relação & eacute; baseada no respeito e na comunicação. E a grande vantagem de trabalhar com o marido é a confiança mútua que temos. É poder ser 100% aberta com o outro, sem medo de ser mal-interpretada”, diz.

Marta Maciel Trzesniowski e Mario Trzesniowski são casados há 30 anos e têm um casal de filhos. Ela havia parado de trabalhar como advogada para ter o segundo filho.

E, como o trabalho dele exigia que fizesse muitas viagens, eles decidiram, há 16 anos, abrir um negócio próprio, para que pudessem ficar mais próximos da família. Escolheram uma franquia Lig-Lig. “Naquela época, em São José dos Campos só existia delivery de pizza. Eu gosto muito de cozinhar, gostamos de comida chinesa e por isso optamos pela Lig-Lig”, explica Marta.

A divisão de tarefas é feita de acordo com as habilidades de cada um. Ele cuida da parte administrativo-financeira e ela, do atendimento a clientes e fornecedores, além da relação com colaboradores. “O perfil de cada um tem que ser respeitado, para que possamos trabalhar melhor. Afinal, trabalhar com comida demanda muita atenção e tempo”, acredita ela. A receita do casal para levar o negócio adiante é o profissionalismo. “Não trazemos os problemas de casa para o trabalho. Dentro da loja, ele é meu sócio. Mas, confesso que falamos sobre trabalho em casa”, diz Marta. Apesar da vida corrida, eles veem muitas vantagens em trabalhar em família. “Pudemos criar nossos filhos estando por perto, participando mais e conciliando os horários. E a expansão dos negócios foi natural, com o tempo”, comemora Marta.

A enfermeira Clarísia Gusmão Tigre e o bioquímico Gildásio Cairo Neto são casados há nove anos e têm um bebê de menos de um ano.

Mas, nem suas profissões nem a vida familiar impediram o empreededorismo inato do casal. Eles continuam trabalhando em suas profissões e ainda têm tempo para cuidar da lavanderia Prima Clean em Vitória da Conquista (BA). “Mas só dá certo porque estamos os dois juntos. Claro que, para o negócio prosperar, temos de nos fazer presentes, mas a tecnologia ajuda. Sabemos que nossa função é gerenciar e ter uma equipe confiável é fundamental. Não adianta querer fazer tudo, tem que fazer bem-feito, otimizando o tempo”, afirma Gildásio.

Eles afirmam que discutem juntos todas as ações, como em outras sociedades. “O profissionalismo independe de sermos casados. Mas, o afeto que nos une faz com que o negócio tenha mais sucesso”, revela Gildásio. Não só a divisão das tarefas, mas também a organização e o planejamento do tempo são fundamentais para que todos os negócios funcionem bem. Enquanto ele se foca nas atividades administrativas e financeiras, ela trabalha no atendimento ao público e na motivação da equipe. “Acredito que o negócio é mais próspero quando um casal é sócio, porque equilibramos as vocações e temos um objetivo em comum: crescer. A família cresce dentro de u m negócio que é tratado com profissionalismo”, acredita Gildásio.

Jaqueline e Altino Ricci são casados há sete anos. Foi a união do casal que despertou o lado empreendedor deles. Assim que se casaram, ela deixou o emprego como operária e ele, o trabalho na agricultura, e adquiriram uma franquia Roasted Potatoe, na cidade de Contagem (MG).

Hoje, eles têm três lojas da marca: uma na cidade de Bauru (SP) e duas em Uberlândia (MG). “E queremos aumentar ainda mais esse número, porque trabalhar juntos aumenta nossa união”, revela Altino que, com Jaqueline, tem uma filha de um ano. Segundo Altino, o segredo é ter um negócio bem estruturado. “As vantage ns são muitas. Confiamos plenamente um no outro, somos companheiros em todas as ocasiões. Queremos crescer juntos na mesma direção e sabemos que um jamais vai querer o mal do outro. Trabalhar com ela me faz caminhar nos negócios e na vida com mais facilidade”, afirma ele.

 

Fonte: Em Pauta Comunicação

Saiba mais sobre a WSI

Nome Completo

E-mail

O que descreve melhor você?

Telefone

Cidade

Estado

Hootsuite-Solution    SEMPO-Member   Google-partner   Yahoo-bling    Hubspot    Constant-contact   Microsoft-partner