Está chegando agora no mercado de franquias e ainda fica confuso com os termos utilizados pelos profissionais durante as convenções?

Os termos usados pelos empreendedores do mercado de franquias, de fato podem soar estranhos principalmente porque parecem caber somente em situações específicas relacionadas ao segmento, mas com um pouco de prática eles se tornarão mais naturais e farão cada vez mais sentido dentro da sua rotina empreendedora.

termos para franqueados

A seguir, separamos as expressões mais usadas no mercado de franquias para você ir se familiarizando:

  1. Know-How no mercado de franquias – O Know-How é o termo que define a pratica de transmissão dos conhecimentos a respeito dos processos. Em tradução livre: “saber como”.
  2. Franqueador: O franqueador é o proprietário da marca, que sob contrato pré-estabelecido, permite que outros empreendedores disponibilizem seus produtos ou serviços.
  3. Franqueado: Franqueado é o empreendedor que adquire o direito de comercializar produtos ou serviços do franqueador, mediante pagamento.
  4. Franchising: Franchising é a palavra que define a prática de franquia. Trata-se de um resumo de toda a operação, incluindo o franqueado e o franqueador sob o mesmo segmento. Diz-se “Mercado de Franchising” para se determinar os diversos aspectos dessa relação.
  5. Expertise: Em tradução livre o termo expertise significa a “experiência”. No franchising o termo expertise é frequentemente usado para resumir as noções pedagógicas que envolvem as etapas de gestão estabelecidas pelo franqueador, ou seja, o Know-How.
  6. Royalties: Os royalties são pagamentos regulares do franqueado para o franqueador, o valor é quase sempre fixo, mas pode haver variações pré estabelecidas em contrato.
  7. Taxa de marketing no mercado de franquias: Neste segmento, onde a parceria é essencial, é a taxa de marketing que permite que o franqueador invista em propaganda. O valor representa um investimento inteligente, uma vez que é o marketing que possibilita o sucesso do franqueado, e investir nisso por conta própria, pode acabar custando muito mais do que a taxa de marketing costuma estabelecer.
  8. COF: O COF é o Circular de Oferta de Franquia. Trata-se de um documento que é exigência obrigatória segundo a lei que gere os termos de franquia (8.955). O COF é como um briefing que permite que o franqueado possa observar as particularidades da franquia, a fim de verificar a sua franqueabilidade.
  9. Franqueabilidade: Franqueabilidade é um termo informal, frequentemente usado para explicar a avaliação de lucratividade X investimento necessário. Uma empresa com alta franqueabilidade, possui crescimento interessante, aliada a produto de fácil implantação, ou marca já reconhecida.
  10. Licenciamento: É a prática de adquirir não só a liberdade de comercializar determinado produto ou serviço, como também de criar variáveis desses produtos. Em resumo, uma modalidade de franchising onde o franqueado possui mais liberdade para empreender sob a marca.

Como dito anteriormente esses termos ficarão cada vez mais simples a medida que se encaixarem na sua nova rotina de trabalho. E para saber mais sobre as particularidades do mercado de franquias, fique atento as atualizações da nossa plataforma e mantenha-se atualizado.

O bom franqueado é, antes de qualquer coisa, um empreendedor, e no Brasil, o empreendedorismo é uma forte tendência, considerada quase inata da população. Por esse motivo é comum encontrar empreendedores que busquem inovar, contando com o apoio de franqueadores. Mesmo assim, sabe-se que cerca de 5% das franquias encontram grandes dificuldades no período de implantação, o que ainda é baixo, comparado a mortalidade de 20% das empresas independentes nos primeiros dois anos, mas ainda assim é um dado a ser levado em consideração.

Isso acontece porque o mesmo Brasil que produz empreendedores peca em qualificação profissional, e o resultado disso é que esses visionários se sintam despreparados quando o assunto é arregaçar as mangas.

Mas saiba que, com o posicionamento certo e a postura ideal, fica mais fácil transpor os obstáculos iniciais após a abertura da sua franquia. E se a falta de qualificação está relacionada a sua insegurança, não se preocupe mais. As habilidades naturais do franqueado podem ser de grande valia para o sucesso do empreendimento, uma vez que somadas ao know-how da marca, fica mais fácil tomar decisões pautadas em planejamento e noções de gestão que já deram certo.

bom franqueado

Características pessoais como habilidades do bom franqueado

Quem já atua no segmento de franquia sabe que para saber se um empreendedor pode obter sucesso nesse segmento, é importante observar se ele possui as habilidades do franqueado dedicado. Uma postura ao mesmo tempo profissional e pessoal, que é o que o levará adiante através dos obstáculos. Abaixo citamos alguns desses pontos fortes, capazes de fazer a diferença:

Como se pode ver, o bom franqueado é o que trabalha incansàvelmente em prol do sucesso dos seus objetivos. E para ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo dos negócios se manter atualizado sobre o mercado de franchising, não deixe de acompanhar sempre as atualizações da nossa plataforma.

Todo o franqueado pode ter dúvidas a respeito das especificidades do seu contrato de franquia. Mas uma dúvida partilhada por boa parte desses empreendedores está ligada ao segmento intitulado “ royalties de franquia ”.

Para esclarecer a respeito desse aspecto é necessário recorrer á um exemplo sobre o pagamento de direitos autorais, de obras de grandes artistas, como livros e quadros.

Os royalties funcionam da seguinte forma:

O idealizador, autor de uma obra literária, por exemplo, trabalha para que ela seja confeccionada de acordo com seu objetivo. Ele tem todo o cuidado de pesquisar o conteúdo para que a história tenha qualidade e seja interessante.

Mas obviamente não é o escritor que confecciona o livro, e sim a editora. Por isso, em ocasião da publicação e venda, ainda que o trabalho de produção e divulgação, bem como envio e outros encargos sejam de responsabilidade da editora, a ideia inicial ainda pertence ao autor, e o seu trabalho é remunerado pela empresa que o comercializa, através do pagamento intitulado “royalties”.

No mercado de franchising acontece a mesma coisa.

O franqueado paga ao franqueador os royalties pelo uso da sua marca, para que dessa forma possa continuar a fazer uso da sua ideia inicial, uma vez que ainda recebe do franqueador um apoio muito maior do que o que ocorre, por exemplo, na relação autor/editora.

royalties

 

Outras taxas e para que elas existem?

A taxa de propaganda, comumente entre 1% e 2% , a taxa de propaganda financia as campanhas de marketing de maior impacto. Essas campanhas são importantes porque garantem um bom resultado na implantação de novos produtos no crescimento das vendas, mas é possível encontrar alguns franqueadores que preferem não exigir esse pagamento do franqueado.

Nesse caso, é o franqueado quem deve arcar com os custos da própria propaganda, o que pode acabar custando um pouco mais do que as medidas previstas no modelo de contrato a respeito da cobrança.

Já a taxa de franquia é paga uma única vez e vale por todo o período que durar o contrato, embora esteja sujeita a alteração em caso de renovação do documento. Essa taxa não é reembolsável em nenhuma hipótese. Para esclarecer esse aspecto ela pode ser encarada, por exemplo, como um investimento voltado para a compra do know-how. E que por isso, paga o recebimento de todo o treinamento e direcionamento do franqueador para o seu novo franqueado.

Diferente da taxa de franquia que é paga somente uma vez, os royalties da franquia geralmente não sofrem alta, mas devem ser pagos ao franqueado mensalmente. A forma de cobrança pode variar de acordo com o previsto em contrato, e há casos em que os valores dos royalties são calculados levando em consideração a rentabilidade do franqueado, ou seja, cobrando uma porcentagem sobre os seus lucros.

Também há situações em que os royalties de franquia estejam relacionados á compra de materiais do franqueador, mas isso estará bem especificado no seu contrato, se for o caso.

Como se pode ver, os royalties de franquia são uma segurança tanto para o franqueador, quanto para o franqueado, já que garantem vínculos engajados de ambas as partes. Afinal de contas o segmento de franchising é estabelecido sobretudo em parceria, e ambas as partes trabalham em prol da lucratividade e reconhecimento do próprio esforço e de sua marca.

Você fica confuso quando se depara com comparações a respeito de franquia e licenciamento de marca? Estes processos podem parecer quase iguais, mas na prática, licenciamento e franquia têm diferenças muito interessantes e lucrativas.

franquias e licenciamento

Imagine uma situação hipotética, na qual o empresário tenha criado um infoproduto relacionado ao aprendizado de uma nova língua. Comercializar esse produto através da franquia seria o equivalente a permitir que outro empreendedor fizesse a venda desse infoproduto seguindo exatamente os mesmos meios do seu idealizador. Isso incluiria, por exemplo, a padronização meticulosa dos processos de apresentação e pagamento, com contratos que especificassem cada aspecto da produção e venda.

Já através do licenciamento de marca, e com a maior liberdade que a proposta possibilita, seria possível não apenas a comercialização desse produto, como por exemplo a criação de outros itens relacionados a ele, que levassem, como base, o mesmo nome da marca.

Esses produtos derivados podem ter ótima aceitação justamente por já estarem relacionados á uma marca conhecida desse determinado público, oferecendo a ele soluções relacionadas as suas necessidades e é claro, o propósito da marca. Para o exemplo do curso de línguas, poderíamos citar mochilas escolares, camisetas, bonés e etc.

Os diferenciais do licenciamento e franquia

Para o empreendedor, nos dois casos a lucratividade é muito interessante, sobretudo quando o público é formado por pessoas que tenham habito de adquirir produtos análogos. E é por isso que, para saber qual dessas modalidades é mais interessante para você, é melhor que se faça um estudo detalhado do seu público, justamente para conhecer se esse tipo de compra está relacionado a sua idade, condição social e preferencias.

Uma dica interessante para saber se é possível obter boa lucratividade através de determinada marca, é observar se o produto em questão se trata de uma tendência a ser explorada, ou simplesmente uma moda, advinda de uma tendência anterior.

As tendências de mercado geralmente são produtos ou práticas que resultam em outros artigos de igual sucesso e merecem atenção do investidor. Um exemplo disso são as panelas elétricas, que venderam números absurdos em todo o Brasil, e depois deram espaço as fritadeiras elétricas.

Mas se o seu produto se tratar apenas de moda, resultado de outro potencial inovador, o melhor mesmo é que essa oportunidade seja aproveitada ao máximo enquanto durar, sem arriscar as variações do licenciamento. Isso porque investir em uma nova modalidade exige algum tempo, bem como uma pesada campanha de marketing para implantação desses produtos.

Tente conseguir algum respaldo da marca, talvez explorando suas campanhas de marketing. Os detentores da marca se interessam pelo sucesso dos seus investidores e franqueados. Por isso não deixe de buscar a consultoria que eles podem oferecer.

A segurança da franquia

Já a segurança que o sistema de franquia oferece, permite que se possa tomar decisões com base nos manuais já estabelecidos do franqueador. Ou seja, através da franquia a lucratividade recebe respaldo difícil de encontrar em outros segmentos, por isso, se você ainda tem pouca experiência no mundo dos negócios, ou se não quer sofrer com os efeitos da crise no cenário econômico nacional, talvez seja interessante optar por essa modalidade.

A dúvida entre licenciamento e franquia termina quando se põe na balança que é através dos sistemas de franquias que o empreendedor consegue participar dos maiores índices de crescimento empresarial do país. Por isso, esteja sempre familiarizado com as novas tendências de mercado, e não deixe de acompanhar tudo, através das atualizações constantes da nossa plataforma.

O mercado de franchising está sempre em crescimento e apresenta excelentes lucros e com isso aumentam as responsabilidades, principalmente porque se trata de uma via de mão dupla. E não é à toa que cresce esporadicamente a cada ano. Muito desse avanço se deve ao organizado sistema de gestão que é pensado para garantir que, tanto o franqueador, quanto o franqueado, consigam obter uma margem de lucratividade bastante interessante, permitindo que ambos desfrutem de benefícios dificilmente encontrados em outro segmento.

Para o franqueador, esse benefício vem principalmente na forma do aumento de representatividade da marca, que se torna mais lucrativa e poderosa cada vez que um novo franqueado se interessa por investir em seu produto ou serviço. Enquanto que, para o franqueado, há a segurança em poder contar com um know-how completo, que o ajude na difícil tarefa da gestão, dividindo os riscos e realizando pesquisa, propaganda e consultoria a respeito dos processos.

Mas esses benefícios vêm com responsabilidades para ambas as partes, já que para o franqueador ele está ligado ao apoio, enquanto que as responsabilidades do franqueado têm maior relação com o comprometimento e foco em resultados.

E para que esta relação continue sendo lucrativa para ambas as partes, é preciso respeitar a risca os procedimentos preestabelecidos, proporcionando um relacionamento saudável entre o franqueado e investidor.

As responsabilidades do franqueador

Às franqueadoras cabe a tarefa de possibilitar que o franqueado tenha todo o apoio que precisar na hora de realizar o processo de gestão da marca. Para isso elas podem oferecer treinamento, supervisão, consultoria de campo através de reuniões físicas, focadas não somente na fiscalização, como também na motivação do franqueado através de rankings. Nessa relação de filiais o franqueador pode informar, através de pesquisas comparativas, como outras lojas puderam superar momentos críticos, compartilhando suas estratégias.

Também é de responsabilidade do franqueador que os contratos sejam claros e livres de ambiguidade, no Brasil, a lei 8.955 estabelece que caso essa medida não seja cumprida, o contrato pode ser dado como nulo ou inválido.

Responsabilidades do franqueado

O contrato do franqueado foi estabelecido primeiramente nos Estados Unidos em 1960. No Brasil essa regulamentação ainda é em forma de contrato atípico figurando como sendo simplesmente de adesão, isso porque possui somente 8 artigos sem muitas especificidades sobre a relação, mas basicamente define a usabilidade da franquia como compra de licença de uso de marca, e nele as responsabilidades do franqueado são estabelecidas pela franqueadora. De modo que o franqueado tem pouco espaço para improvisação dos processos.

Isso porque comprar uma franqueia é basicamente adquirir uma licença de marca, e cada contrato varia muito já que a lei 8.955 se preocupou em garantir a transparência das negociações, como dito anteriormente, sob pena de invalidade do contrato, caso as regras soem ambíguas, ou pouco claras. Estas variações são tão expansivas que há inclusive uma modalidade popularmente chamada de “Franquia Master” na qual o franqueado adquire o poder de obter subfranqueados.

Entre as responsabilidades do franqueado estão a taxa de filiação e, é claro, a licença de marketing ou patente. Mas muito mais do que isso, cabe ao franqueado a tarefa de usufruir de todos os recursos que a franqueadora se dispuser a oferecer, transformando suas plataformas de apoio em verdadeiras alavancas de resultado. Afinal, elas foram estabelecidas justamente para tornar essa relação o mais clara e rentável possível.

Investir em uma rede de franquias sem ter em mente um propósito bem definido, é como entrar em um navio, sem saber para onde ele vai. É claro que se pode tomar o leme e pilotar de improviso, mas acredite, os riscos de se perder durante o percurso, podem ser enormes.

O mercado de franquias é muito bem estruturado e conta com crescimento exponencial de investidores a cada ano. Por isso ao ingressar em uma empreitada no mercado de franchising, ou mesmo expandir o alcance da sua marca, exige que se tenha um roteiro claro, capaz de definir bem a sua ideia e estabelecer um objetivo final suficientemente forte para guia-lo ao longo de toda a empreitada. Com foco nesse propósito, direcione os seus esforços tomando decisões com criatividade e que o aproximem cada vez mais de seu objetivo final.

Rede de franquias

Pra onde vai a sua rede de franquias?

A ideia é de que a sua rede de franquias se espalhe pela cidade ou pelo mundo?

Saber de antemão a proporção do seu projeto, é uma maneira inteligente de preparar manuais mais completos e específicos de acordo com o que se procura para a postura da marca.

Quando se fala numa rede menor de filiais, pode ficar mais fácil proporcionar o respaldo necessário aos franqueados, enquanto que, caso o interesse seja de expansão em nível global, equipes podem ser formadas previamente, para prestar esse apoio antes que se atinjam pontos críticos que levem a essa necessidade.

Saber para onde vai a sua franquia é como ter nas mãos um mapa bem detalhado, e é inteligente usar esse planejamento, para estabelecer estratégias bem estruturadas dos seus processos.

Um propósito baseado em números

Mas pouco adianta toda a pesquisa e todo o tempo investido no planejamento cuidadoso, se faltar um propósito bem estabelecido e realmente motivador. O propósito é a alavanca que fará com que o empresário se dedique de corpo e alma ao seu empreendimento. E o que chamamos de “propósito” pode ter diferentes naturezas, desde as mais profissionais, até as de cunho emocional como, por exemplo, dar uma vida mais confortável à sua família ou colaborar com o crescimento econômico de uma determinada região.

E é perfeitamente possível que se tenha um propósito humanitário e emocional, como o de empregar muitas pessoas ou colaborar com alguma causa social, mas não se esqueça de que mesmo a mais nobre das causas vai depender de sua lucratividade para obter a ajuda de que tanto precisa, e é por isso que ao estabelecer a meta da sua rede de franquias, o empresário precisa se basear primeiramente em números.

Descubra tudo sobre quem é o seu público-alvo, onde vive, como se diverte, quais marcas prefere. Porque, segundo dados do Sebrae, o conhecimento a respeito do público-alvo é o que mantém a lucratividade das empresas, tanto em curto quanto em longo prazo.

Afinal de contas, tendo planejamento cuidadoso e informações atualizadas sobre onde se concentra o seu público, o empreendedor pode investir em campanhas de marketing mais assertivas e bem direcionadas, economizando tempo e dinheiro e convertendo toda a sua dedicação e propaganda em lucro rápido. É com base em conhecimento que se estabelece as necessidades do seu público e para estar sempre atualizado, não perca as novidades do mundo de negócios, através da nossa plataforma.

Você sabia que nos últimos 10 anos mais de mil grandes franquias fecharam as suas portas? O que torna esse número aparentemente menos relevante é a onda de franquias sendo abertas a cada ano, mesmo assim, ainda é alarmante imaginar a quantidade dessas empresas que pode estar fadadas ao fracasso. E para evitar ter o mesmo destino, pode ser interessante saber que a causa desses fracassos tem raiz quase sempre na falta de comunicação entre as franquias.

No segmento de franchising a troca de conhecimento é essencial, e é através do networking que ela acontece. Em reuniões como as convenções, por exemplo, fica mais fácil descobrir novas técnicas de marketing, de gestão e até ideias que podem significar crescimento nos lucros. Isso sem mencionar que, sem o diálogo, uma marca facilmente se desgasta e pode se perder em meio ao desalinhamento de postura dos investidores.

A comunicação entre as franquias na era digital

Na era da informação, o diálogo pode parecer mais fácil e dinâmico, o que não acontece na prática.

Na correria da rotina, muitos empresários disponibilizam pouco espaço da sua agenda para visitar os lugares fisicamente, e o resultado disso é que, substituindo-se as visitas por e-mails, se deixa de observar e conhecer pessoas fisicamente. E com a conversa mais objetiva e formal dos meios digitais fica difícil vencer as barreiras do protocolo, o que permitiria a descoberta de novas parcerias.

No franchising, o olho no olho ainda é uma importante ponte para as boas práticas, por isso estimular o contato mais próximo ainda é a melhor maneira de melhorar a comunicação num primeiro momento.

Para facilitar essa tarefa, segue uma lista de ideias citadas pelos maiores especialistas do setor, nas quais o franqueador pode se inspirar para aproximar os franquiados e encorajar a colaboração mútua.

comunicação entre as franquias

Direcionando franquias com porte e público em comum, fica mais fácil fazer com que ambos trabalhem juntos em prol de um único objetivo, que o franqueador pode estabelecer. Pode ser um certificado ou bonificação, por exemplo.

Realize festas em feriados comemorativos, ou datas significativas para a marca.

Mais do que estimular a parceria e a troca de experiências, é importante mostrar o exemplo, para gerar mais empatia entre os franquiados.

É muito importante garantir que os franquiados se sintam motivados e satisfeitos, não apenas ganhando dinheiro, como também, cientes de estar atuando da melhor forma, dentro da melhor organização.

A internet está aí para ser uma ferramenta de aproximação, e ainda que não se compare a uma visita física, não desperdice esse importante meio de vencer distâncias.

A ausência de treinamentos causa prejuízos não somente aos franquiados como também a marca, por isso aproveite todas as oportunidades possíveis para proporcionar momentos de aprendizado.

A importância do diálogo

Fica muito mais fácil alinhar a postura da sua empresa diante do consumidor final, quando todos os franquiados e gestores estão de acordo com o que deve ser realizado e, cientes de como a marca se posiciona, bem como sua missão e valores.

O franquiado precisa se sentir produtivo, precisa estar satisfeito com os próprios resultados e se sentirá mais motivado conhecendo os números e resultados de outros franquiados.

De acordo com uma pesquisa recente de Preparo Global, apenas 10% dentre os 362 empresários consultados, se sentiam preparados para pensar em expandir suas franquias em nível global.

Esta insegurança é resultado direto dos indicadores que mostram que, o maior desafio dos empresários de franchising é organizacional, ou seja, é o tamanho do projeto que de fato causa apreensão.

Isso porque o cronograma inicial de um projeto de expansão, consiste em especificar cada aspecto da marca e gestão do produto. Elaborando manuais diferentes e gerando uma metodologia completa de procedimento, com a finalidade de garantir a padronização dos processos.

Por si só, este já é um trabalho minucioso que exige a dedicação de uma grande equipe de profissionais, mas trata-se de apenas um dos obstáculos, já que ao mesmo tempo em que é necessário que tudo pareça simples, o know-how precisa ser completo e atraente para o mercado.  já que garantir o sucesso dos franquiados deve ser o objetivo principal de quem planeja uma expansão desse porte.

Expandir a franquia é sinônimo de solidez

No segmento de marketing existe uma máxima que diz: “Pessoas compram, quando pessoas compram”. Isso quer dizer que quanto mais pessoas estiverem comprando determinado produto, mais clientes se interessarão por esse produto. E em nenhum outro segmento essa frase faz tanto sentido quanto no setor de franquias. Quando o número de novos investidores for positivo e crescente a marca inspirará segurança, o que significa que é hora de expandir.

Maior otimismo do investidor representa ponte para o crescimento, portanto, excelente oportunidade de crescimento. Com uma marca que vale mais no mercado fica mais fácil vencer os desafios de tornar uma franquia global.

Mas entenda, para continuar em expansão, é importante oferecer benefícios e diferenciais que sejam atraentes, do contrário, mesmo uma pequena queda nos seus gráficos pode significar um caminho sem volta, por isso é importante se preocupar com a satisfação dos franquiados, mantendo-os interessados no produto.

A importância do franqueado para a evolução da sua franquia

Se o objetivo é tornar uma franquia global, é essencial que o empresário esteja debruçado sobre estratégias de marketing que tornem seu history telling interessante para novos investidores. Afinal, quem compra um know-how adquire também uma ideia, uma bandeira. E, vestindo a camisa da sua empresa, está interessado na segurança que ela proporciona e na facilidade de poder contar com a sua consultoria.

Ao franqueador cabe a tarefa difícil de pensar em como fazer o seu franqueado gostar de estar na sua rede, ganhar mais dinheiro se dedicando ao seu método e como dito antes, estar feliz com a sua empresa.

Cinco indicativos de quem está pronto para expandir sua franquia

O planejamento da expansão

Crescer exige planejamento, portanto, economize dinheiro e tempo contando com os serviços de um consultor que colabore apontando as melhores decisões e evitando que se cometa erros de julgamento. Cada passo deve ser pensado, e a transição precisa ser feita rapidamente, já que é aumento das novas parcerias que financia o custo dessa expansão. Assim, é interessante que ampliação do seu campo de negociações se dê de forma dinâmica e assertiva.

Para você, ser empreendedor é conviver com a incerteza?

Pois saiba que para muitas pessoas, o maior desafio ao abrir uma franquia é a insegurança. E isso não quer dizer necessariamente falta de experiência ou confiança no negócio. Afinal de contas, o mercado muda muito rápido e isso exige constante aprendizado em qualquer que seja o segmento, o que dá ao empreendedor a sensação de estar constantemente defasado.

É por isso que nos primeiros meses após abrir uma franquia, o empreendedor precisa se sentir amparado para poder superar suas incertezas e desenvolver a marca com segurança, gerando lucros e não apenas se mantendo no mercado.

É nessa hora que entra a importância do suporte do franqueador nos primeiros meses do negócio, disponibilizando todo o know-how necessário, e prestando consultoria de campo. Serviços que, não só garantem o padrão da marca, como também dão impulso inicial para que o franquiado possa ganhar mais dinheiro.

O suporte do franqueador é a marca das franquias bem estruturadas

Franqueadoras bem estruturadas prestam auxilio ao franqueado em vários aspectos. Esse cuidado é o que mantém o reconhecimento e o valor da marca, já que permite que diversas franquias se relacionem, trocando conhecimento e discutindo estratégias que funcionam.

O suporte do franqueador pode ser transmitido das seguintes formas:

Nas visitas o franqueador pode exibir manuais que direcionem o franquiado nas atividades de rotina, como agenda, fluxo de caixa, ou estoque, se for o caso.

Nas convenções os franquiados podem trocar experiências com outros investidores de  franquias de porte e público similar, absorvendo novas ideias e identificando possibilidades de melhoria e diagnóstico.

Com treinamentos e cursos, o suporte do franqueador garante que o franqueado possa estar atualizado com as novas tendências de mercado para o produto. Isso não significa simplesmente aprendizagem de conteúdo metodológico, mas também ajuda o franquiado a se adequar á postura da marca, fator importantíssimo para garantir a evolução dos seus gráficos de crescimento e lucratividade.

Na era da informática estar aberto ao diálogo é essencial. Por isso o suporte do franqueador precisa ser facilmente encontrado em canais de comunicação rápida.

Aproveite o suporte do franqueador

Segundo pesquisa recente realizada pela revista Exame, os franquiados que se sentem amparados através do suporte do franqueador, apresentam resultados muito mais interessantes do que os que não recebem o mesmo suporte, sobretudo nos primeiros meses após a abertura da franquia.

Nessa época, a ansiedade em acertar, pode fazer com que o empreendedor se sinta sobrecarregado de tarefas e responsabilidades, e por isso pouco inclinado a buscar ajuda.

Mas os indicativos de crescimento das franquias no mercado Brasileiro, mostram o quanto é essencial superar esses obstáculos para aproveitar todo o respaldo técnico que o franqueador pode proporcionar.  É essa postura que faz com que o caminho de uma empresa seja mais tranquilo e sólido, driblando os desafios iniciais e galgando mais rapidamente os degraus do sucesso.

O empreendedor também deve estimular o aprendizado dos seus colaboradores, proporcionando oportunidades para que desenvolvam networking com os colaboradores das demais franquias da marca, este é um dos maiores benefícios do franquiado, a possibilidade de se desenvolver com base nos acertos dos empresários que investiram antes no mesmo segmento.

Ter o próprio negócio e encontrar uma grande oportunidade de ganhar dinheiro é o que muitas pessoas estão procurando. E as microfranquias têm sido a grande aposta de quem quer conquistar uma nova posição no mercado ou até mesmo começar uma vida nova, longe da figura de um chefe autoritário e de uma rotina burocrática e exaustiva.

Principais vantagens das microfranquias

Segundo a Associação Brasileira de Franchising, uma Microfranquia é uma modalidade de negócio que conta com um investimento inicial de até R$ 85 mil. Isso torna possível que muitas pessoas possam começar um negócio por meio de um baixo investimento.

No entanto, o candidato que deseja comprar uma microfranquia precisa estudar o modelo de negócio para alinhar as suas expectativas. Pensando nisso, levantamos 3 vantagens de quem deseja investir através das microfranquias.

O franqueado já começa dando certo

A grande vantagem de investir numa microfranquia é que o franqueado já começa apostando numa ideia que está dando certo. O empreendedor que opta por ingressar neste modelo corta caminhos, já que o novo franqueado poderá absorver a experiência da franqueadora e de outros franqueados, de forma a utilizar os percalços para ultrapassar os antigos e novos desafios.

Isso significa que ao investir em microfranquias, o interessado já ingressa num modelo de negócios conhecido e testado pelo mercado, cabendo ao novo empreendedor desenvolver as ideias e operacionalizar os processos para sua constante evolução.

Modelo de negócio já mapeado

Para quem deseja investir numa microfranquia a primeira grande vantagem é que o franqueador já enfrentou vários desafios para consolidar a marca e o modelo de negócio, e toda a bagagem de conhecimento acumulada já é bastante expressiva.

O resultado de toda esta bagagem acumulada é um rol de informações sobre clientes, fornecedores, padrão de consumo e a forma mais adequada de prospecta-los.

Além disso, o suporte de franqueados inclui relatórios periódicos sobre o comportamento dos clientes na rede de franquias, bem como o acompanhamento de atuação dos novos franqueados e sugestões de estratégias para alavancar os resultados.

Parceria já consolidada

Abrir um negócio, buscar uma rede de parceiros e fornecedores, conquistar clientes, é uma trajetória que pode levar a intermináveis dores de cabeça até que o negócio alcance uma margem confiável no mercado.

Ao investir em microfranquias, o franqueado passa a ter o mesmo relacionamento confiável em relação a toda a rede de franquias. Isso significa que ao ingressar neste modelo de negócio o novo franqueado diminui as chances de especulações de serviços de baixa qualidade, descumprimento de prazos, falta de fluxo de caixa para manter o negócio, etc.

Com as microfranquias, o franqueado já tem uma estrutura de negócios bem definida diante do mercado e pode focar seus esforços no core business da empresa.

Hootsuite-Solution    SEMPO-Member   Google-partner   Yahoo-bling    Hubspot    Constant-contact   Microsoft-partner